quarta-feira, dezembro 31, 2008

BROCARDOS (07)


As horas, os dias são uma invenção do Homem.
Os 366 dias que compõem 2008 são nossa tentativa de controlar o incontrolável: o Tempo!
Aliás, essa é a maior marca dos nossos desencontros, das nossas ansiedades: o desejo de controle. De pôr rédeas aos outros, às nossas necessidades, colocar o cabresto nos desejos alheios, cercear o tempo, limitar as coisas e querer que a banda toque por uma pauta nossa, mesmo que a melodia resulte dissonante.
Ainda não aprendemos que o outro é melhor se livre e que ainda que por caminhos tortuosos, melhor é que ele se vá do que atrelado a nós, definhe.
Ainda não descobrimos o tamanho das nossas pernas e continuamos a colocar nossas “necessidades” no topo mais alto, onde por vezes estão os de fulano e de sicrano, ícones da modernidade, que alguém determinou como gabarito.
E nesse turbilhão nos vemos escravizados por aquele que tentamos controlar, o Tempo, pois na ânsia de ser senhor ocupamos nossas horas com o alheio e deixamos de viver, de aprender, dormir, fazer sexo, comer adequadamente, exercitarmo-nos, escrever um e-mail (até mesmo uma carta, por que não?!), corrigir os deveres dos pequenos, olhá-los de longe e ver que já não são tão pequenos assim, curtir um bom filme e principalmente um bom espetáculo teatral, curtir a música, dançar por uma coreografia torta, mas pessoal, comprar tomates frescos na feira, tomar açaí gelado, dormir. Ao final das 24 horas, ficamos com a sensação de que faltou tanta coisa e que nosso cansaço é o maior que existe e já nos angustiamos com o dia seguinte, prenúncio de novos dissabores.
Mas o tempo continua inexorável. Amanhã, 01 de janeiro de 2009, o dia começará exatamente como hoje, o último de 2008, com a Terra tendo dado a volta sobre si mesma, tornando este lado do mundo aos raios do Astro-Rei. Estaremos um dia mais velhos, mais experientes, teremos morrido um pouco mais diriam os pessimistas e continuaremos vivos, deste, ou do outro lado da vida.
Das tradicionais resoluções que tomaremos para 2009 que tal incluir uma nova diretriz? O de tentar controlar apenas a nós mesmos. Regular nossos horários, assumir realmente as responsabilidades que tomamos para nós, ir, ficar, casar, estudar as novas (e para mim nem tão boas) regras ortográficas, comprar roupas novas, fazer um curso de qualquer coisa, aprender estenografia, ou mandarim. O que quer que façamos, façamos por nós. Apaziguados assim perceberemos que o outro não é lá tão lerdo nem apressado demais, que ele não é tão guloso assim, ou dorme tanto; que eu posso correr, mas o outro apenas caminhar. Entender o limite do outro e assumir o que é seu. Respirar isso, diria um bom amigo.
Um ciclo humano de dias se encerra hoje numa invenção também humana de 24 horas.
Fechemos esse ciclo. Aproveitemos o que foi bom, avaliemos o que não foi e não o joguemos pra baixo do tapete que isso também é aprendizado.
Amanhã tem mais um dia dos 365 que tornarão 2009 um ano ímpar, sem qualquer trocadilho!

HUDSON ANDRADE
Belém, Pará, 31 de dezembro de 2008.
8h40

2 comentários:

Ismael disse...

Grande amigo!
como sempre, suas palavras são profundas e tocantes. obrigado por compartilhar mais um belo texto conosco.
que façamos que 2009 seja um ótimo ano de nossas vidas.
estou com saudades!
grande abraço!

Cláudio disse...

Meu irmão, sábias palavras e que realmente estão corroborando uma série de pensamentos que eu estou disposto a incorporar em mim nesse ano. Lamento muito não ter lhe assistido esse ano e sei que perdi um grande espetáculo, pois todas as vezes que lhe assisti anteriormente sempre aprendi e um espetáculo magnífico. Fica com Deus meu irmão, que os anjos iluminem teus caminhos com suas espadas de fogo, lhe dando forças para as lutas do cotidiano e que consigas ainda mais sucesso e felicidade na tua jornada esse ano. Um abração.