sábado, outubro 29, 2011

QUEM COME DESSE PÃO? QUEM BEBE DESSE VINHO?


Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que sois semelhantes aos sepulcros caiados, que por fora parecem formosos, mas interiormente estão cheios de ossos de mortos e de toda imundícia. Assim, também vós exteriormente pareceis justos aos homens, mas interiormente estais cheios de hipocrisia e de iniqüidade. Mt 23:27-28


Militante do Partido Social Cristão – PSC, afirmou no programa da sua bancada exibido em 27 de outubro de 2011, em rede nacional de rádio e televisão: Nossa prioridade é o ser humano.
No entanto, ao longo de toda a exibição, era visível a discordância com a união civil entre homossexuais, projetos de lei que garantam aos cidadãos gays direitos e deveres iguais a todos, mais proteção contra a violência alheia que ainda grassa e é elemento culturalmente apreciado, incrementado pelos tipos caricatos e infelizes que proliferam em telenovelas, humorísticos e programas em geral.
A questão (ou problema) não é a defesa do modelo patriarcal e heterossexual de união familiar, mas a indicação de que a desordem, a desarmonia entre classes, entre os jovens, a proliferação de vícios e condutas reprováveis é fruto de outras formas de linhagem que não a fórmula apresentada Homem + Mulher + Amor = Família.
Filhos criados por mães e avós, ou tias, reconhecidamente heterossexuais, serão afeminados pela ausência da figura masculina? Daí para a prática homossexual é certeza? Meninas criadas unicamente pelos pais serão masculinizadas, embrutecidas? Grupos onde somente a um dos sexos genéticos é permitida a convivência são celeiros de homossexuais? Ou não há amor entre militares e religiosos? Ou o amor entre iguais, isento de contato sexual e eivado de respeito, não é realmente amor?
Sociedades onde a diferenciação de gêneros sexuais não predominava, desapareceram. Que sociedades? Todo agrupamento tem por objetivo a congregação de seus membros em torno de diretrizes que os organizem, suportem e felicitem. Todo agrupamento é candidato a vitórias. Todo agrupamento é passível de desvirtuamentos e excessos.

Queria falar pela boca de antropólogos, filósofos, neurocientistas, psicólogos e psiquiatras, sociólogos, enfim, tantos que estudam e apresentam de forma franca e factual o fenômeno da homossexualidade como uma das facetas do ser humano, mas não tenho bagagem para isso e tal seria longo e, quiçá, enfadonho.
Falo como cidadão, trabalhador, artista, cristão, brasileiro, tio, primo, filho, irmão, biólogo e também – orgulhosamente – como homossexual: Ama o próximo como a si mesmo. Fazer por eles o que se gostaria para si próprio. Reconciliar-se com o diferente enquanto com ele se caminha. Atirar a primeira pedra apenas se totalmente isento de faltas.
Um partido que tem a marca dos cristãos que morreram nas arenas romanas como símbolo e que ergue sobre si o nome do Cristo,mas não tem caridade pelos seus irmãos – assim chamados por hipocrisia política e tolerância de fachada – não merece crédito.
Nenhum dos seus candidatos receberá o meu voto. É apenas um único voto, mas não é insignificante, porque negar-lhes esse apoio e minha forma de dizer não à mediocridade dos seus ideais.

Oremos pelos que nos perseguem e caluniam.
Bem aventurados somos, porque injuriados.
Quem de nós entrará no Paraíso?

HUDSON ANDRADE
27 de outubro de 2011 AD
22h10

3 comentários:

NADA SANTOS... TUDO ALMA... disse...

Abençoado nos é o dom de dizer. Não apenas nosso, dos escritores. Não. Nosso. Indivíduos todos. Almas que se entendem gente. Digo para ti o que li esses dias e me comoveu: tu fazes valer a condição de humano ser. Teu muito orgulho de ti, meu amor, meu companheiro!

Carlos Correi Santos

NADA SANTOS... TUDO ALMA... disse...

Abençoado nos é o dom de dizer. Não apenas nosso, dos escritores. Não. Nosso. Indivíduos todos. Almas que se entendem gente. Digo para ti o que li esses dias e me comoveu: tu fazes valer a condição de humano ser. Teu muito orgulho de ti, meu amor, meu companheiro!

Carlos Correia Santos

Frank J Costa disse...

Hudson, sei a qual vídeo te referes, mas é impressionante como a rapidez para julgar e, sumariamente, condenar o próximo encontra ecos nos mais variados setores e nos mais diferentes ambientes, até mesmo naqueles em que, por definição teórica, deveriam promover a tolerância.
Deixo aqui o link para algumas postagens - já antigas no tempo, mas sempre atuais por sua temática, como sempre é ao falar-se do Humano:
1º - http://filosofosemideias.blogspot.com/2011/10/vejam-este-absurdo.html

2º - http://omaldocoracao.blogspot.com/2011/10/nota-publica.html

3º - http://filosofosemideias.blogspot.com/2011/10/nota-publica.html

Deixo-os como testemunho factual que ainda estamos a entrar - como Nação - em nossa Idade Média. Me pergunto:
O que o futuro nos trará???